FanFics Fórum

O Fórum fics. Todos os temas que quiseres para escreveres a tua!!
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 To the end

Ir em baixo 
AutorMensagem
samilla
Escritor


Feminino
Número de Mensagens : 2
Idade : 26
Emprego/lazer : escrever
Famoso Favorito : Gerard Way
Data de inscrição : 31/01/2011

MensagemAssunto: To the end   Seg Jan 31, 2011 7:43 am

Twisted Evil caso tenha alguem q leia ou ñ eu mando em breve tipo semana q vem
bjs
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
samilla
Escritor


Feminino
Número de Mensagens : 2
Idade : 26
Emprego/lazer : escrever
Famoso Favorito : Gerard Way
Data de inscrição : 31/01/2011

MensagemAssunto: Re: To the end   Qui Fev 03, 2011 4:18 am

samilla escreveu:
Twisted Evil caso tenha alguem q leia ou ñ eu mando em breve tipo semana q vem
bjs


Oi gente espero que curtam...
To The end

Escrito por: Samilla Winchester Way
Classificação: 18 anos
Beta reader: eu e o Word

Prefácio: Até o fim, diga adeus às promessas que você exige, diga adeus à vida que você leva, diga adeus ao coração que você parte e a todo o cianureto que você bebeu...

Capitulo um: Mama
Naquele dia enfático, eu estava na janela vendo as pessoas de King cross. Viciados, prostitutas, crianças correndo em meio ao perigo ao seu redor. Estava perdida em meus pensamentos, quando minha avó Irene bateu na porta gritando:
- Acorda Srta. Winchester ta na hora de parar de pensar na vida e ir ao banco!
Eu cocei minha orelha e respondi em tom de desolação:
- Eu sei dona Irene estou descendo.
Estava com uma má vontade de ir ao banco, para pegar quatro mil libras de pensão que o Jamie’’pai’’pagava todo mês para mim.
Quando saí do meu quarto minha mãe estava fazendo o café da manhã chorando novamente talvez o novo namorado a deixou. Eu sei que ela tem sofrido muito por amor, por no final os caras a deixam. Principalmente Jamie que a tirou de Londres para colocá-la em New Jersey casar-se com ela depois a trocou por uma garota de dezesseis anos chamada Madison. Sorte nossa que minha avó deixou nós moramos com ela. Aqui estamos na cozinha.
Minha avó gritou:
- Catherine você vai com ela no banco!
Minha mãe tomou um susto e respondeu:
- Sim, eu vou, pois tenho que pegar meu pagamento. - ela respondeu com um tom de tristeza.
Ela me mostrou uma carta que Jamie havia enviado pra mim. Eu não quis ver porque se importava comigo ele simplesmente me veria de vez enquanto. Entramos no carro um fusca amarelo 62, mamãe fez ligação direta para o carro pegar. Quando estávamos quase chegando ao banco, ela parou o carro olhando pra mim e me perguntou:
- Amorzinho, por que você trata tão mal o seu pai?
Eu me levantei do banco, suspirei e respondi:
- Mãe, eu sei, mas o Jamie nunca veio aqui, na boa e nem sei quem ele é.
Ela me abraçou e disse:
-Filha se acontecer alguma coisa a mim, ele vai ter que te assumir meu doce, você vai ter que ir para New Jersey morar com ele.
Eu realmente achava impossível disso acontecer, mas eu estava muito enganada...
Quando chagamos ao banco, entramos e ficamos na fila. De repente vieram três homens encapuzados com armas (azul, vermelho e rosa) o vermelho deu um tiro alto mandando todo mundo ficar no chão. O segurança tentou impedir, mas levou vários tiros. Estávamos apavorados, a bancaria apertou o alarme chamando a policia, eles ficaram furiosos, o azul colocou a mão à cabeça gritando:
- A policia vai nos matar, vamos ir enquanto é tempo!
O vermelho não concordou o que gritou tentou fugir, mas o vermelho atirou nele pelas costas. A policia chegou rápido, um policial tentou negociar, porém os assaltantes não recuaram. Então, o rosa teve uma idéia, me tiraram do chão pondo a arma atrás da minha nuca me levando para fora do banco.
Lá fora minha avó estava desesperada, quando me viu com aqueles terríveis homens teve um infarto, me deixando mais nervosa, pensei sobre minha vida sobre morrer e não ter feito nada, ninguém sentiria minha falta. E eles me levaram de volta para dentro. O rosa teve crise de consciência, deu tiro em sua própria cabeça, caindo no chão. O vermelho me jogou no chão, minha mãe tentou se aproximar de mim, mas o louco do assaltante atirou nela, ela morreu na hora. O sangue dela veio ao meu encontro, mas meus olhos se fecharam lentamente...
Quando eu os abri estava no hospital, um homem que parecia com um índio vestido de advogado me abraçou e disse:
- Oh meu Deus, eu sinto tanto pelo que te aconteceu minha filha.
Eu não entendi nada daquilo, então ele me contou:
-Samilla, a sua mãe morreu e sua avó também eu sou Jamie Winchester seu pai você vem morar comigo em Belleville, New Jersey.
Eu fiquei sem palavras não podia morar sozinha em Londres afinal eu só tinha 17 anos, tinha que aceitar ir morar com a família monstro.
Quando saí do hospital, Jamie havia arrumado a minhas malas, eu só tive que entrar no táxi direto para o aeroporto.
A viagem foi um saco, fiquei aliviada quando vi a placa “Bem-vindo a Belleville, New Jersey”. Quando cheguei a casa, Madison estava me esperando de braços abertos, Kristen minha meio irmã fingiu que nem me viu, mas foi à única que não estava sendo falsa comigo.
Eles me mostraram a linda casa recém reformada, subi as escadas e Jamie mostrou meu quarto exageradamente rosa: os lençóis, a mesa do computador com computador, a impressora, um guarda roupa de madeira e um banheiro.
Jamie perguntou:
- Sammy você gostou de seu novo quarto?
Eu simplesmente balancei a cabeça que sim, ele ficou feliz e disse:
-Ah, eu tava esquecendo você vai para o colégio de manhã, o Belleville high school.
Os adolescentes sempre me assustaram muito, amanhã eu ia encarar um monte de ianques malucos para acabar com a britânica...
Capitulo dois: Teenagers
Depois de chorar a noite inteira pela morte da minha mãe e avó, meus olhos estavam inchados e avermelhados eu fui acordada for um despertador maluco que não parava de tocar e Madison pediu para eu levantar. Eu toda amarrotada levantei, tomei um banho, me vesti toda de preto: calça jeans regata, o casaco de veludo e o tênis all-star. Desci rolando as escadas e fui tomar meu café, com pressa, mas Jamie disse:
- Querida hoje eu vou te levar pro colégio.
Eu escovei os dentes e nós saímos para a garagem onde estava a BMW prata de Jamie, entramos no carro. Nós fomos em silêncio até chegar ao colégio: O conflito final.
Levei muito tempo tentando achar à secretaria quando finalmente encontrei, tinha mulher ruiva gordona no balcão que me abraçou com muita força. Ela me deu os horários de todas as aulas e as salas que eu ia entrar.
Eu fui embora para procurar a sala 13, foi fácil porque a sala 13 fica a duas salas da secretária.
Era aula de literatura com Sr. Brown, como eu sabia a matéria fui dormir só acordei quando alguém me cutucou para responder a chamada.
Logo que o sinal tocou fui procurar a turma de sociologia, um rapaz saiu correndo olhei o numero da sala e vi que aquela também era a minha sala. O rapaz gentilmente abriu a porta pra mim, eu entrei e sentei na ultima fileira. Então o Sr. Rodriguez disse:
- Crianças, hoje farei algo diferente com vocês, quero que me contem algo triste.
Ninguém realmente levou a serio, ouvi alguém gritar no fundo:
- Eu amo uma lésbica!
Todos riram muito, outro gritou:
- Meu pai bloqueou meu cartão de credito e eu não posso comprar minha bolsa de 600 dólares.
O Sr. Rodriguez se irritou, mas não perdeu sua posse de brincalhão, de repente ele olhou pra mim e perguntou:
- Vamos Srta. Winchester o que te deixa triste?
Pensei em dizer “Este lugar me deixa triste”, mas pensei numa resposta melhor que não fosse mentira. Então respondi:
- Nunca mais ver minha avó Irene e minha mãe que morreram dois dias atrás.
Todos se calaram, até bater o sinal do intervalo. Quando saímos da sala, o rapaz que abriu a porta um moreno, cabelo castanho claro liso, olhos verdes claros e mais ou menos um 1.75 m.
Ele me cumprimentou, se apresentando:
- Oi meu nome é Nathan, você deve ser a filha do prefeito Winchester, vou te mostrar minha galera.
Primeiro eu nem sabia que o Jamie era prefeito só mesmo uma cidadezinha em New Jersey para eleger Jamie como prefeito, ianques malucos, segundo galera, ai que medo! Então ele me levou até o refeitório, mas a comida não me parecia comestível todos aqueles olhares terríveis para mim dos outros adolescentes, fiquei aliviada quando Nathan e eu chegamos à mesa da galera dele. Eles eram cinco, três meninas e dois rapazes. A primeira garota era uma morena bem alta de olhos verdes, cabelos curtos negros e lisos, muito linda. A segunda era ruiva de olhos verdes com rosto de boneca de porcelana se parecia com a morena. A terceira também era muito bonita, com seus longos cabelos pretos e seus olhos negros. O outro não era bonito só era loiro.
A morena de olhos verdes me abraçou e disse:
- Então é você a filha do prefeito, eu sou Erica, a ruiva é Jéssica minha irmã, a outra é a Natasha, o Nathan você já conhece e loiro é Jack.
Natasha resolveu me abraçar com muita força e eu disse:
- Oi eu sou a Sammy...
Eu ia fazer meu discurso de boa estudante quando um grupo de garotos apareceu todos de repentes olharam para eles. Eles se sentaram numa mesa ao fundo, um moreno tatuado acendeu um cigarro deu um trago e foi passando para um menino com cara de nerd também deu um trago e passou para o moreno de pele translúcida, olhos verdes oliva, cabelos lisos e negros na altura do ombro simplesmente o cara mais lindo que eu já havia visto na vida, ele realmente ficou fumando. Ele olhou para mim eu na hora tentei disfarçar, mas Erica riu de mim e disse:
-Ai meu Deus o Gerard Way, está olhando pra você!
Eu não sabia quem era Gerard Way, mas Jéssica me explicou:
-O cara que você e todos estavam olhando, o moreno de olhos verdes, nerd é o irmão dele Mikey, o moreno tatuado é o Frank Iero, loiro é o Bob Bryar e o porto riquinha é o Ray Toro. Os professores o chamam de “esquadrão do mal”.
Eu fiquei impressionada, talvez eles fossem os valentões do colégio ou algo do tipo.
Depois das aulas voltei para casa, eu abri a porta e senti um cheiro bom vindo da cozinha. Fui até lá, Madison estava fazendo um bolo de chocolate e ela pediu a minha ajuda, eu aceitei. Só tive que desligar o forno porque o bolo já estava bom, estava muito curiosa para saber sobre o Gerard Way, mas fiquei quieta...
Capitulo três: Welcome to The black parade
Quatro dias depois, era domingo, então a família monstro foi à igreja. Eles realmente precisavam se purificar de seus pecados.
Chegando lá, o pastor Jackson olhou pra nós, sorrindo disse:
- Senhor seja louvado irmão prefeito Winchester, sua adorável esposa e suas filhas. Essa é a pequena Sammy?
Eu fiquei constrangida, pelo “pequena” e quando ele me abraçou. Vimos um casal vindo e o pastor Jackson os abraçou e perguntou:
- Como estão seus filhos?
A mulher aos prantos respondeu:
- Oh pastor, o Gerard e Mikey estão cada vez piores.
Então eu saquei que eles eram os senhores Way, Jamie chegou perto de mim me comunicando que eu ia trabalhar no salão da Senhora Way, ela me abraçou e disse:
- Você começar amanhã depois do colégio.
Eu sorri e todos entraram na igreja, eu dormi o culto todo só acordei quando Jamie me cutucou.
De noite eu não consegui dormi, estava extremamente ansiosa para começar a trabalhar. Quando eu peguei no sono, o maldito despertador dos infernos tocou sem parar e Madison me mandou ir me arrumar pro colégio, eu me arrumei, desci indo até a cozinha onde tinha empregada mexicana fazendo o café e Madison disse:
- Está é a Maria a nossa empregada, Sammy hoje você vai com a Kristen.
Ela teve um surto, eu pensei “Kristen? Eu não”. E ela gritou:
- Nem pensar que eu vou ir com ela, eu marquei com as minhas amigas, não quero esta retardada na minha cola.
Eu saí pegando a grama do jardim, eu entrei e gritei:
- Retardada eu? Vamos ver quem é retardada sua vaca!
Coloquei a grama na boca dela, Madison ficou quieta simplesmente me deu a chave de seu carro e eu aceitei.
Fui até a garagem, vi a Mercedes azul 2007 e ela disse:
- Você vai ganhar um carro no seu aniversario.
Eu sentei, joguei a minha mochila e comecei a dirigir até o colégio.
Quando cheguei ao estacionamento do colégio, estacionei perto de Corvette vermelho. Na entrada estava Erica e Jéssica tentando segurar a escada para Natasha colocar a faixa. Curiosa, de ver aquela cena, perguntei:
- O que é esta faixa?
Erica largou a escada, Natasha se desequilibrou deixando a faixa cair e Erica respondeu:
- Esta faixa é do baile de outono que vai acontecer daqui eu, é... - Ela pegou a faixa para ver a data -15 de junho de 2007, na sexta à noite. Você vai?
Cocei a cabeça, coloquei a língua pra fora e balancei negativamente a cabeça. Jéssica largou a escada, chegou perto de mim tirando uma pena de travesseiro da minha cabeça. Natasha tentou descer da escada, mas ela caiu.
O sinal tocou, todas nós fomos para nossas salas, olhei meu horário e vi que tinha aula de química, Erica ficou feliz porque era a aula dela também e uma faria companhia à outra. Quando chegamos à sala 21, a professora a Sra. Hunt era uma velhinha de coque, com um vestido tão velho que as flores murcharam, baixinha, de óculos fundo de garrafa e disse:
- Srta. Winchester sente-se naquela mesa ao fundo a única que está vazia, o seu parceiro não veio.
Agradeci, sentando na penúltima carteira do meio, a Sra. Hunt começava a aula quando socaram a porta como se fosse derrubá-la a Sra. Hunt se encaminhou, até a porta, ajeitou os óculos, balançou sua cabeça para os lados, abrindo a porta e disse:
- O senhor faltou cinco aulas seguidas, hoje chega atrasado, tem sorte Sr...- Ela fez uma pausa mortal – Way que estou de bom humor!
Ela levou as mãos até a cintura, ele entrou de cara zangada, eles se olharam e ela continuou a bronca dizendo:
- Que isso não se repita mais, você vai sentar ao lado da Srta. Winchester transferida de Londres.
Ele veio em minha direção sentou ao meu lado, todos olhavam para mim e Erica fez o sinal da forca pra mim. Ele pegou um caderno e um lápis e começou a desenhar. Tentei puxar conversa, mas o deixei mais irritado que disse:
- Eu te perguntei alguma coisa, então cala a boca!
Depois do fora eu o deixei para lá. Então, ele não trocou nenhuma palavra comigo, finalmente o sinal tocou, ele foi embora deixando o desenho para trás, Erica foi ao meu lado e disse:
- Amor, o Way está furioso, ele te odeia, relaxa, ele odeia todos aqueles que não participam do seu grupo.
Ela colocou a mão em meu ombro para me confortar, mas ela não conseguiu, eu não havia feito nada que o fizesse me odiar tanto que só faltou ele me bater.
Fui até a sala da turma de italiano no segundo andar, na sala só estava o Sr. Castelli, eu entrei, ele me recepcionou em italiano que não entendi nada, apesar de ir varias vezes à Itália. Eu ainda estava com desenho de Gerard, mas resolvi colocá-lo dentro da mochila, sentei e Gerard estava sentado de cara zangado no fundo em meio à escuridão da sala. Ele me viu, mas me ignorou. O Sr. Castelli me deu apostila do ano inteiro. Na hora que eu ia dormir o Sr. Castelli gritou:
- A Srta. Winchester vai fazer uma peça conosco de seu conterrâneo William Shakespeare, “Romeu e Julieta” em italiano, no dia 05 de junho juntamente com Sr. Way que vai ser seu par.
Eu me assustei, mas Gerard mais ainda que ameaçou o professor dizendo:
- Ficou maluco? Eu com essa garota se você me obrigar a fazer esta coisa com ela, você está ferrado! A quero bem longe de mim!
Ele saiu chutando a porta. Sr. Castelli me dispensou da aula. Eu fiquei ainda mais chateada que quase chorei.
No corredor encontrei Nathan chutando a maquina de doces, eu dei um tapa nas costas dele que se virou e caiu na gargalhada, dizendo:
- Ninguém neste colégio irritou tanto o Way, sabe, todos tem medo dele, mas você -Tinha muito sarcasmo neste “mas você”, ele deu uma risada -o irritou tanto, mais tanto que ele saiu da sala chutando as lixeiras, me empurrou e socou a maquina e a parede.
Eu fiquei assustada de Gerard me pegar depois do colégio, me fazer dormir com os peixes como nos filmes da máfia.
Depois finalmente cheguei ao pátio. Tinha vários grupos, eu não me encaixava em nenhum deles. Vi Gerard e outros meninos, ele falava uma coisa enquanto virava uma garrafa de vodca, Frank olhou para mim, tendo uma crise de gargalhadas, provavelmente estava rindo de mim. Ele balançou a cabeça como sinal de desapontamento com Gerard. Uma garota apareceu no lado de Gerard o beijando muito. Deveria ser a namorada dele, estava perdida como sempre em meus pensamentos agora pensando em Gerard Way. Quando de repente, alguém me deu um tapa nas costas que me fez voar uns cinco metros. Levantei, me virei e era Natasha rindo de mim e disse:
- Hum saquei garota, você está afim de Gerard Way? Que loucura!
Eu tentei fingir está rindo, coloquei as mãos na cintura e Natasha continuou:
- Sammy, ele não fica com garotas como você: certinhas. Ainda mais que ele é bi, ele pega garotas e garotos nestas festas fora de Belleville, fofa essa é a nova vadia dele ela se chama: Lindsay. Se você o quer tira seu cavalinho da chuva. Ainda bem que eu não gosto de homem.
Eu tentei disfarçar a minha decepção, respondendo:
- Eu não estou interessada em Gerard Way, ele me odeia!
Gritei tão alto que uma galera ouviu e olhou para mim me deixando totalmente envergonhada que pensei “Será que ele ouviu também?”.
Quando tocou o sinal, não pensei, simplesmente peguei minhas coisas e fui pro estacionamento, procurei o carro o achei, o Corvette vermelho que estava do lado estava se mexendo demais, estava com uma musica ensurdecedora. Entrei com cuidado no carro de Madison, dirigi, mas na hora de tirar dei uma batidinha de leve no outro carro, fazendo o parar de mexer.
Abri o porta luvas, procurando o endereço do salão, só que não fazia idéia da onde ficava. Sorte a minha que Mikey passando pela rua e resolvi segui-lo. Ele chegou no salão onde tinha uma loira olhando pra rua, e Sra. Way que o abraçou com vontade o deixando sem graça.
Eu estacionei com cuidado na porta do salão só que a Sra. Way gritou:
- Menina, o estacionamento é daqui ao lado!
Eu olhei e vi o estacionamento ficando ainda mais sem graça, fui até lá e estacionei, de repente olhei curiosa para minha mochila, abri e peguei o desenho que finalmente eu saberia o que era, então eu o desenrolei e...
Vi que ele havia... Desenhado-me! Eu fiquei chocada por dois motivos: primeiro: se ele me odiava tanto porque me desenhou de uma forma tão meiga. Segundo: ele desenhava muito bem, o desenho estava perfeito, alem de lindo era talentoso.
O desenho era eu sentada com as mãos no queixo olhando tristemente para frente. Estava realista demais, parecia uma foto. Até ele percebeu minha tristeza.
Depois de vários devaneios com aquela cena que o Leonardo DiCaprio desenha a Kate Winsley nua, só que era ele e eu e eu estava vestida. Eu desci do carro, entrando no salão. A Sra. Way pediu para que eu entrasse para trabalhar, mas não tinha nenhum cliente. Eu curiosa perguntei:
- Sra. Way o que eu vou fazer?
Ela realmente não sabia e perguntou:
- Não sei minha filha, você sabe fazer unha ou cabelo?
Eu fiquei meio confusa, mas me lembrei do curso que eu havia feito de manicure em Londres e respondi:
- Sim eu sei fazer unha, fiz um curso em Londres.
Ela me conduziu até meu lugar uma mesa com uma cadeira, para fazer unha e disse:
- A Elisa vai te ajudar, com o tempo você se acostuma.
Elisa era uma moça alta, gordinha, loira de rosto arredondado, que estava lá fora, quando eu cheguei. Ela falava sem parar, eu de repente me desliguei pensando em Gerard sentado do meu lado.
Só que Erica chegou, assim pude parar de fingir que estava ouvindo Elisa falar. Eu cheguei perto dela, meio insegura e perguntei:
- Hei, você trabalha aqui há quanto tempo?
Ela coçou cabeça, pensou um pouco e respondeu:
- Sei lá uns dois a dois anos e meio, mais ou menos.- ela olhou para mim – Não sabia que a filha do prefeito trabalhava num salão?
Eu a conhecia há pouco tempo, então não contaria a minha trajetória de vida sofrida, então respondi:
- Eu nunca realmente precisei do prefeito Winchester afinal até uma semana atrás eu nunca havia o visto mais gordo, bem eu sempre trabalhei por isso não sou uma vadia como a Kristen.
Erica teve uma crise de risos por causa do meu sotaque britânico, ela chamou Elisa e Sra. Way para rirem de mim. Só que de repente ela apareceu: Lindsay.
Eu realmente admito estava morrendo de ciúmes dela, mas não era só eu que não ia com a cara dela, Elisa e Sra. Way também. Bem, Erica estava ocupada demais mexendo numa gaveta talvez para evitar um confronto. Lindsay entrou altiva demais se achando a dona do mundo, olhou Elisa de cima a baixo e ordenou:
- Hei Elisa faz o meu cabelo agora!
Elisa se recusou dizendo:
- Nunca vou colocar as minhas mãos nesta porcaria de cabelo de uma vadia...
A Sra. Way segurou o braço dela a levando para fora do salão, sentou numa cadeira e gritou:
- Sogrinha será que ninguém vai fazer o meu cabelo!
A Sra. Way quase entrou para dar uma surra nela, mas me chamou pela janela e disse:
- Samilla, faça o cabelo dessa imprestável, e diga pra ela nunca mais voltar aqui.
Eu fiquei com medo de Lindsay e respondi:
- Mas Sra. Way eu não sei fazer cabelo só unha e se eu estragar o cabelo dela.
A Sra. Way sorriu de uma forma maliciosa, talvez essa fosse a idéia então eu entrei cheia de medo, cheguei perto de Lindsay coloquei as luvas cirúrgicas perto do balcão comecei a molhar o cabelo dela de repente caiu um esmalte rosa do balcão dentro do xampu. Eu pensei que não ia acontecer nada até que eu passei o produto no cabelo dela esfreguei, lavei e o cabelo ficou rosa para o meu azar, molhei de novo e continuou rosa. Sequei o cabelo com secador que estava em cima do espelho e penteei, ela abriu os olhos para meu espanto ela adorou e disse:
- Bem eu não ia pagar porque a Donna ia me sabotar, mas você.
Ela interrompeu para dar uma risada debochada, irritando Elisa, Erica e a Sra. Way.
Eu fiquei sem graça e disse:
- Olha a Sra. Way disse que é para você não voltar mais aqui.
Ela aceitou numa boa e ainda me deu vinte pratas, eu ia colocar no caixa só que ela disse:
- Não fofa este dinheiro é seu, você fez o cabelo, ah você é nova meu nome é Lindsay. Você arrasa!
Ela saiu do salão toda feliz pelo cabelo cor de rosa, elas entraram e Elisa disse:
- Samilla, espero que ela nunca mais volte aqui, saiba de uma coisa bem vinda à parada negra e essa vadia está aprontando alguma.
Erica colocou o braço em volta de mim e disse:
- A partir de amanhã eu vou te dar carona pro colégio e pro trabalho.
Capitulo quatro: Heaven help us
No dia seguinte Erica me buscou ás 7:30 da manhã para irmos ao colégio, buzinando sem parar, irritando Kristen e Madison que estavam de TPM, eu saí para evitar maiores constrangimentos. Entrei no Opala preto reluzente todo tunnado de Erica. Quando sentei o banco de couro, fiquei impressionada, ela ligou o radio. Curiosa, perguntei:
- Por que a Elisa odeia a Lindsay?
Erica colocou o cinto de segurança, começou a dirigir e respondeu:
- Olha Sammy a Elisa foi noiva do Gerard por um tempo, mas o Gerard e os meninos foram fazer um show em New York, aí ele beijou vários meninos, ele é extremante volúvel como um verdadeiro ariano, largou a Elisa com tudo marcado para o casamento. Desde então ela odeia todas as garotas e garotos que pegam o Gerard.
Eu fiquei de boca aberta, Erica estacionou o carro e nós saímos do carro.
Fui para a aula da Sra. Hunt de química. Eu sentei no meu lugar enquanto ela escrevia alguma coisa na lousa. Bateram na porta, ela foi atender. Eu, no fundo achei que fosse Gerard, mas eu estava enganada. Era apenas a senhora da secretaria dando um bilhete para Sra. Hunt que comemorou alegremente, então a outra senhora foi embora. A sra Hunt comunicou a todos dizendo:
- Caros alunos o sr Gerard Arthur Way pediu transferência do colégio para um colégio em New York.
Todos comemoraram com muito barulho só eu que fiquei assustada, muitos me agradeciam por ter espantado Gerard Way do colégio. Eu simplesmente abaixei a cabeça fingindo que estava dormindo para pararem de me perturbar. Depois do sinal, eu saí, no corredor todos olhavam para mim, mas não eram aquele olhar terrível do primeiro dia, e sim um olhar de agradecimento enquanto eu passava todos inclusive os professores batiam palmas para mim. Fiquei muito atordoada saí correndo do colégio, lá fora eu encontrei com Ray um dos garotos que Gerard anda, riu da minha cara e disse:
- Você é a heroína deles, um ícone, mas vocês estão errados a respeito do Gerard, entre se puder.
Ele deu tchau para mim enquanto corria de volta para a casa da família monstro, droga afinal era apenas 10 milhas do colégio até em casa. Quando eu cheguei em casa não tinha ninguém. Fui tomar banho para tentar entender porque ele me odiava tanto a ponto de sair do colégio por minha causa. Depois eu fui dormir, sonhei que estava num lago, caí, enquanto eu afundava Gerard tentava me puxar de volta, mas de repente ele soltou-me só via seus olhos verdes ao fundo. De repente eu acordei assustada.
No dia seguinte,
Na semana seguinte,
No mês seguinte,
Ele não apareceu em Belleville.
Eu de alguma forma era a única que sentia a falta dele, eu sei que os amigos, família e até Lindsay o viam em New York.
No dia de 13 de junho de 2007, eu estava tomando meu café quando tocaram a campainha, era Erica, eu levantei e vi que não havia pegado a maquina para tirar umas fotos. Quando eu cheguei ao meu quarto, peguei uma cadeira para poder subir para pegar a câmera, só que eu derrubei a câmera e o cartucho da minha impressora foi junto com sujando a minha blusa, tirei a blusa e abri o guarda roupa para pegar outra blusa, eu acabei pegando uma camiseta do Joy division e saí correndo. Quando cheguei ao carro de Erica, ela reclamou em tom de ironia dizendo:
- Samilla, da próxima vez me avisa quando for demorar, para eu trazer uma revista para eu ler. Só está perdoada por causa desta camiseta linda do Joy division.
Parecia que Erica gostava tanto de Joy division tanto quanto eu.
Quando chegamos ao colégio, eu vi Nathan e desci do carro de Erica. Ela foi estacionar, vi que meu tênis all star estava desamarrado, então coloquei meu pé no meio fio. Eu estava amarrando o cadarço quando de repente... Veio uma Picape verde vomito do nada totalmente desgovernada vindo em minha direção, ela ia me atingir em cheio... Fui jogada para o gramado do colégio devo ter voado uns vinte metros. De repente eu vi Gerard ser atingido em cheio pelo carro, ele foi parar debaixo das rodas totalmente ensangüentado e desfalecido, tive um dèja vu com a morte da minha mãe. Pensei que ele estivesse morto, entrei em desespero “meu herói morto, oh não!”.
Depois um rapaz saiu do carro desesperado olhou para o carro, viu Gerard, tentou ligar para a ambulância, mas estava muito nervoso. Eu depois do choque fui para perto de Gerard segurando firme sua mão ensangüentada que o fez acordar e sorrir para mim e eu disse:
- Eu estou com você agora e eu não vou deixar você aqui sozinho.
Passei a mão em seus cabelos e beijei a sua mão. Nós nos olhávamos tristes um para o outro senti um olhar de arrependimento dele por ter me dado aquela patada na aula de química. O rapaz veio em minha direção e perguntou:
- Você está bem?
Eu estava tão preocupada com Gerard que nem me dei ao trabalho de responder, Gerard me deu seu celular que por milagre não havia sido esmagado e consegui mesmo totalmente nervosa ligar para a ambulância. O rapaz veio novamente perguntando a mesma coisa e eu irritada gritei:
- Eu estou ótima, mas o Gerard Way não, salvou a minha vida e você ainda seu inútil só pensa em com eu estou.- eu me dirigi aos adolescentes curiosos -Vocês caiam fora daqui!
Eles saíram correndo talvez fossem para suas aulas, somente ficamos nós: Eu, Erica, Gerard, Ray e o rapaz que causou o acidente que eu não sabia o nome.
A ambulância chegou, os pára médicos tiraram Gerard debaixo de carro, colocando na maca e o levando para o hospital. Erica me abraçou, o rapaz também foi levado para o hospital, nós tínhamos uma tarefa muito difícil. Quem ia ligar para a Sra. Way?
Erica tirou o celular da minha mão e ligou para Sra. Way que atendeu, Erica respirou e disse:
-Olha... Sra. Way, você estava preparada? Seu filho acabou de ser atropelado e está no Central medical Belleville.
Erica me devolveu o celular, coçando a cabeça disse:
- Acho que ela desmaiou!
Eu sentei no chão e perguntei a Erica:
- Você pode me levar ao hospital?- Erica ficou em duvida e olhei para ela com olhar do gato de botas do Shrek - Erica... Você pode me levar ao hospital? Ele salvou a minha vida.
Ela aceitou a minha chantagem emocional indo até o estacionamento quando estávamos chegando perto do carro, alguém gritou:
- Me espere meninas, eu também quero ir com vocês!
Nós olhamos para trás, era Ray, Erica deixou ele nos acompanhar até o hospital. Ele sentou no banco de trás, eu coloquei o cinto de segurança sentando na frente e Erica dirigiu feito uma louca.
Quando chegamos ao hospital, eu entrei correndo chegando perto da recepção e perguntei:
- Você sabe onde está o paciente Gerard Way?
A moça da recepção, uma morena baixinha de óculos fundo de garrafa, começou a procurar no computador e ela disse com voz anasalada:
- Srta., ele está no quarto 402, quarto andar no corredor, terceira porta a esquerda, está na hora de visita, corra logo.
Nós três corremos para pegar o elevador, pegamos e chegamos até o quarto andar, os senhores Way estavam juntamente com os outros amigos de Gerard na porta do quarto, eu me aproximei e perguntei aos pais dele:
- Senhores Way eu posso falar com Gerard a sós?
Os pais dele aceitaram e ele também aceitou numa boa. Eu entrei no quarto, cheguei perto da cama onde Gerard estava deitado, ele colocou os braços atrás da cabeça e sem graça perguntei:
- Hum você está melhor?
Gerard olhou para mim e respondeu:
- Estou ótimo, garota fica tranqüila.
Ele, pela primeira vez sorriu para mim, mas o rapaz que o atropelou chegou estragando aquele momento perfeito de nós dois. Deu-me um ‘’oi’’, e perguntou:
- Cara, me desculpe! O que eu posso fazer para compensar você?
Gerard deu um sorriso malicioso e perguntou:
- Hey, você tem 100 pratas?
O rapaz pegou a carteira no bolso de trás da calça, tirou 200 dólares e deu a Gerard que guardou o dinheiro da sua carteira e respondeu:
- Cara você está totalmente desculpado.
O rapaz saiu todo aliviado, eu fiquei totalmente espantada e perguntei:
- Você é meu herói, você salvou a minha vida, mas porque você fez isso?
Ele me deu o sorriso torto novamente e dizendo:
- Meu docinho, para você ficar me devendo.- eu fiquei sem palavras e ele suspirou -Olha você fazer meu trabalho de historia sobre a 1ª e 2ª guerra mundial para segunda-feira.
Eu fiquei com raiva, minha vida estava valendo um trabalho de historia, Gerard olhou para mim e disse com sarcasmo:
- Oi, você achou que eu ia te salvar, sem querer nada em troca? Preciso sair de Belleville, e você Winchester é a chave, ou simplesmente achou que eu salvaria sua vida por amor ou algo do tipo... Ta me achando com cara de Edward Cullen? É por isso que eu odeio Twilight!
Eu virei as costas indo embora. Erica estava na porta do elevador conversando com Frank um dos amigos de Gerard. Eu comecei a apertar o botão do elevador, Erica vendo em minha direção e perguntou:
- Sammy, o que aconteceu no quarto? No bom sentido é claro.
O elevador chegou e nós entramos e eu respondi:
- Ele pediu 100 dólares para eles ficarem quites, eu sei lá! E por ter salvado a minha vida pediu um trabalho de historia, eu achava que ele tinha algo bom em seu maldito coração, mas eu estava enganada!
Nós saímos do hospital, achamos o carro de Erica estacionado perto da ambulância, entramos nele e ela me olhou com tristeza perguntando:
- Amor o que você vai fazer agora?
Eu pensei, olhei para ela desapontada e respondi em tom de tristeza:
- Fazer o trabalho de historia da 1ª e 2ª grande guerra amiga.
Ela começou a dirigir. Quando nós chegamos na casa da família monstro, eu desci e ela pediu para eu ficar fria.
Abri a porta e não tinha ninguém em casa, eu sei que eles tinham coisas melhores para fazer do que se preocupar comigo. Subi direto para meu banheiro tomar um banho gelado para tentar pensar se minha mãe faria se ela estivesse viva. Enquanto a água caía Winchester minha cabeça, eu pensava em tudo que Gerard havia me dito para mim, eu chorei muito. Eu tinha muitas duvidas ao respeito de Gerard Way, mas ele não saía da minha cabeça o que era mais estranho.
Depois do banho, vesti o meu pijama de caveirinhas, me joguei na cama para tentar entender tudo que estava acontecendo e também dormir em paz. Quando fechei meus olhos... O maldito telefone tocou, Jamie e Madison se materializaram em meu quarto gritando sem parar, então eu não entendi nada. Peguei o telefone em cima da mesa do computador sendo que eu nem sabia que tinha um telefone rosa, atendi e ouvi uma voz dizendo:
- Ai meu Deus! Você quase foi atropelada e o Way te salvooooou. O Nate me contou tudo, é a Natasha... Você se machucou?
Ela disse tudo numa velocidade que eu não consegui acompanhar seu raciocínio e não respondi, pensei e respondi:
- Natasha, amanhã na escola eu conto tudo.
Desliguei o telefone, Jamie cruzou os braços e perguntou:
- O que aconteceu? Por que o filho mais velho dos Way te salvou?
Eu fiquei irritada pelo tom de voz alterado dele como se fosse proibido o Gerard Way me salvar. Sentei na beira da cama, suspirei e respondi com tom de voz mais elevado do que o dele, dizendo:
- Eu estava descendo do carro de Erica, fui amarrar meu tênis e uma picape veio na minha direção e aí Gerard me tirou da direção do carro. Satisfeito?
Ele começou andar de um lado para o outro, Madison colocou a mão em cima do meu ombro e disse:
- Amor o importante é que ela está bem e também o filho dos Way a salvou.
Ela me deu um beijo na minha testa, eu estranhei aquilo, mas eles saíram do meu quarto. Levantei da cama para fazer o trabalho de Gerard, liguei o computador, quando ele ligou, abri o Word para começar a escrever Winchester meus conhecimentos de 1ª e 2ª guerra mundial, escrevi durante minutos até ficar bom, imprimi colei com fita adesiva e coloquei em cima do CPU do computador, o desliguei, me deitei pensando em Gerard comecei a dormir...
No dia seguinte eu levantei, tomei banho. Depois desci, então fui até a geladeira, peguei um sanduíche e comi com pressa, escovei os dentes correndo porque Erica bateu na porta, eu saí do banheiro de baixo correndo, abri a porta, cuspi no jardim, entrei no carro, Erica estava com as mãos no volante, respirou fundo e disse:
- Amiga você está pronta e assédios dos anti-Way, eu acho que ele vai te odiar mais!- ela sorriu para mim, eu fiquei apavorada -olhe sempre os lados quando andar por Belleville sozinha.
Ela dirigia bem, até se desconcentrou olhando para um menino bonito, eu me encolhi no banco de couro do Opala. Erica colocou uma musica no radio, então eu me detraí com a musica no ultimo volume era apenas a musica: You do Evanescence.
Enquanto a musica tocava, de repente eu lembrei de Gerard olhando para mim, no refeitório, as aulas de química e italiano. Eu voltei a si quando a musica parou, também chegamos ao colégio, indo para minha sala, Natasha apareceu me dando um abraço de urso e perguntou gritando:
- O que aconteceu? Conta, eu quero saber de você...
Eu coloquei a minha mochila no chão, coloquei a mão na parede:
- Bem, eu estava saindo do carro de Erica, fui amarrar o tênis então a picape apareceu e Gerard Way me salvou e foi atropelado.
Parece que ela não ficou satisfeita, queria mais detalhes, mas eu fui salva pelo sinal que tocou, ela saiu correndo para sua sala, mas eu sabia que ela ia me interrogar no intervalo.
O professor de historia entrou na sala, eu tentei entrar depois dele, mas ele fechou a porta na minha cara. Eu fui para o pátio, lá estavam Jéssica, Nathan e Erica matando aula eles estavam sentados na grama, eu cheguei perto deles, sentando na grama e Jéssica perguntou:
- Garota você está bem?
Eu balancei a cabeça que sim, então ela me deu um bilhete, abri e estava escrito: “Me perdoe, por favor! Você quer ir ao baile comigo? Ass: Peter”. Eu pensei “Que será esse garoto?” E perguntei a Jéssica:
- Quem é este garoto, que mandou o bilhete?
Eles começaram a rir e Jéssica respondeu:
- Garota é o cara que quase te matou ontem ele é Peter Summers jogador de futebol americano ele é ruim, do 1º ano parece que gostou de você.
Nathan parecia que não gostou, num tom de ironia disse:
- Ele é meio novo pra você Samilla a não goste de trocar fraudas de um moleque de 16 anos, ele não joga bem e nem sabe beijar.
E nem eu sabia era BV com 17 anos! Erica chegou perto dele segurando o que o queixo dele lhe deu um beijo em sua bochecha e respondeu:
- Nathan Harker, se depender de mim eu tiro o BV dele, mas às vezes um menino de 16 anos beija melhor do que você que tem 17.
As meninas riram muito o deixando sem graça, eles de repente olharam para mim, então os três perguntaram:
- Você vai ao baile com ele?
Eu fiquei vermelha e respondi gaguejando:
- Bem... Eu não ao baile... Com ninguém ainda com este garoto que tentou me matar ele muito... Novo para mim.
Eles riram da minha resposta, Erica teve um pensamento brilhante e disse:
- Hum? Eu acho que a Sammy queria ir ao baile com Gerard Way!
Eu fiquei sem palavras, então o sinal tocou, olhei o meu horário e vi que era a pior aula: EDUCAÇÃO FISICA. Eu comecei a suar frio, fugi durante três meses, mas agora não podia escapar. Eu segui para o vestiário para o meu castigo...
Quando eu saí do vestiário com as pernas tremendo, cheguei ao ginásio, o Sr. Aiello me viu segurou o meu braço e gritou:
- Chega aí galera! –Os alunos vieram como moscas no mel -bem, esta Samilla Winchester a filha do prefeito, então não a machuquem... Muito.
Eu tremi mais ainda, umas meninas me chamaram para um jogo de queimado. Foi extremamente traumatizante nunca levei tantas boladas em toda minha vida. Quando a bola finalmente caiu em minhas mãos, joguei pro alto que quebrei o vidro da janela do ginásio, todos riram muito. O Sr. Aiello olhou, se espantou e disse:
- Wooow! Srta. Winchester joga bem mesmo... Para fora. Nossa!
Eu dei um sorriso sem graça, sentei na arquibancada no lado de Nathan que se chorava de tanto rir de mim, coloquei as minhas mãos na cintura e perguntei:
- Qual que é a graça Sr. Harker?
Ele não conseguiu responder, pois não se parava de rir, de repente uma bola caiu no meu colo, tentei tacar a bola de volta, mas a trajetória da bola foi direto... Para a cabeça do Sr. Aiello. Eu fiquei vermelha de vergonha, então Nathan riu mais ainda e disse:
- É por isso que eu estou rindo, você vai pra sala de detenção.
O Sr. Aiello chegou perto de mim, porque algum fofoqueiro contou que eu havia tacado a bola sem querer e gritou:
- Então foi você srta. Winchester, hein? Uma semana na sala de detenção!
Eu me levantei indo até o vestiário onde tinha varias garotas trocando de roupa. Eu era muito magrela e baixinha, desde de sempre morria de vergonha das outras garotas. Abri o armário onde estavam minhas coisas, peguei minha roupa e me escondi dentro do chuveiro, para me vestir...
Passei perto da sala de detenção tentando fugir, mas Jéssica estava na porta e disse:
- Sammy, corra antes que Sra. Watson venha e perceba que você não veio. Vai trabalhar a Erica está te esperando no estacionamento.
Eu saí correndo para o estacionamento me esquivando dos outros adolescentes indo embora. Finalmente cheguei ao estacionamento achei o Opala preto de Erica, entrei e ela saiu a toda velocidade com o carro.
Quando chegamos ao salão de Donna Way, ela nos viu chegar e gritou:
- Isso são horas? Vão trabalhar o salão está cheio!
Nós saímos do carro, entrando correndo. Fui até uma gaveta peguei minhas coisas indo atender uma garota. Quando eu acabei de fazer a unha dela, Gerard apareceu lindo todo preto, ele entrou disfarçadamente, mas Donna o viu o abraçando deu um beijo em suas bochechas o deixando vermelho de vergonha vindo em minha direção, ele me olhou e perguntou:
- Você Winchester fez o meu trabalho de historia?
Eu balancei minha cabeça que sim, Gerard ficou do meu lado colocando a mão em cima do meu ombro, me deixou paralisada olhou nos meus olhos e disse:
- Que bom você traz amanhã no colégio, eu vou estar te esperando.
Virou as costas e foi embora, me deixando extremamente chocada, tentei voltar para o meu serviço quando Erica chegou do meu lado perguntado:
- Amiga o que o Way queria com você? Você quer ir conosco a New York amanhã?
Eu pensei e respondi:
- Com certeza eu vou a New York!
No dia seguinte no colégio eu estava passando pelos corredores quando vi Gerard e Ray encostados rindo e conversando. Eu cheguei perto deles entregando o trabalho a Gerard, ele sorriu pegando o trabalho, Ray o beliscou fazendo algumas mímicas para ele, então Gerard entendeu e perguntou:
- Samilla, você quer ir à... - expectativa, pausa mortal – uma festa que eu vou dar no sábado à noite?
Eu aceitei sorrindo, me despedi dos dois indo para aula de geografia com professor Thompson. Eu fiquei confusa porque eu nem sabia que Gerard Way sabia meu nome.
Chegando em sala, eu sentei ao lado de Erica que estava lá dentro, imediatamente pegou meu braço e fez a pergunta:
-Amiga o que o Way queria com você?
Eu sorri feito uma retardada e respondi:
- Bem, eu dei o trabalho de historia, ele me chamou para uma festa sábado à noite!
Ela me abraçando e nós gritamos feitas loucas, só que Sr. Thompson não gostou nada, então começou a falar...
Capitulo cinco: I´m not okay
Depois que bateu o sinal do ultima aula tive que ir à sala de detenção. Fiquei parada em frente à porta, uns segundos até tomar coragem depois abri a porta que rangeu como nos filmes de terror. A Sra.Watson estava me esperando, eu sentei na primeira da frente onde dava para ver o quadro todo escrito “Nunca mais vou beber no colégio, xingar meu professor de veado”. Uns riam, outros dormiam, enquanto eu olhava pro relógio pendurado na parede, vinte minutos nunca foram tão longos. O rapaz que estava escrevendo no quadro virou-se era Gerard Way que pegou os apagadores, bateu um no outro e a poeira veio em cima de mim, mas principalmente na Sra. Watson que lhe deu mais um mês na sala de detenção. Ela saiu para se limpar, todos comemoraram, Gerard pegou um cigarro que estava atrás da orelha e acendeu, pegou sua mochila e minha mão e disse:
- Saia! Antes que velha Watson nos veja.
Puxei minha mochila, saímos correndo sem olhar para trás rindo daquela situação e a Sra. Watson gritava sem parar:
- Voltem aqui vocês dois senão vão ficar mais três meses na sala de detenção.
Nem ligamos quando paramos de correr já estávamos no estacionamento onde estavam as meninas, eu estava indo para o carro de Erica, mas voltei dei um beijinho no rosto de Gerard e ele me deu tchau. Eu saí correndo para o carro de Erica e finalmente entrei.
Enquanto as meninas cantavam Umbrela da Rihanna, eu olhava a paisagem, eu estava impressionada porque eu nunca tinha ido a New York quando finalmente cheguei estava de boca aberta todo era perfeito como nos filmes, as meninas nem ligaram. Eu as entendo, eu não ficaria impressionada de ir para Londres, Milão, Paris e Roma quando morava na Europa.
Chegamos a 5ª avenida onde tinham lojas caríssimas, só que Erica tapou os olhos de Jéssica e Natasha as rodou e Jéssica apontou a direção, então Erica tirou suas mãos e disse:
- Esta loja deve ser boa. Vamos as compras meninas!
Nós atravessamos a rua indo até uma loja onde uma vendedora loira, alta, de olhos castanhos simpaticamente nos atendeu. Erica escolheu uma dúzia de vestidos diferentes, Jéssica pegou dois vestidos iguais só que de cores diferentes e Natasha escolheu um vestido colorido extremamente chamativo. Elas experimentaram os vestidos, eu sentei, fiquei aprovando e reprovando junto com a vendedora quando elas pediam a minha opinião. Natasha ficou com vestido / arvore de natal, Jéssica ficou com vestido simples laranja na altura do joelho. O vestido de Erica era perfeito bem, com decote V bem profundo, as costas de fora bastante curto e vermelho de cetim. Então, elas olharam para mim e Erica perguntou:
- E o seu vestido Sammy? Ou pensou que ia escapar de nós?
Erica e a vendedora escolheram uns vinte vestidos diferentes para eu experimentar. Para mim nenhum deles ficou realmente bom, mas Erica escolheu um vestido preto balonê muito curto e decotado e disse em tom de zoação:
- Se você quer conquistar o Way, amiga você tem que ousar!
Eu corei na hora, as fazendo rir de mim e sem graça pedi:
- Meninas eu posso... Ah escolher o vestido, eu não vou ao baile hoje à noite também... Eu não quero conquistar Gerard Way!- gritei.
Elas fingiram que acreditaram em mim, mas Jéssica olhou para mim e disse:
- Sammy, ainda vai ter uns cinco bailes: hoje de outono, primavera, halloween, dos alunos e o de formatura para mim. Quem sabe você não convida o Way.
Eu só faltei me esconder de vergonha pegando um vestido vermelho que parecia uma camisa enorme, eu experimentei ficou bem largo do jeito que eu queria, mas o vestido era muito curto, então coloquei meu cinto de espeto e baixei o máximo do vestido que podia. Eu olhei para o lado e vi um vestido branco de festa, peguei escondido das meninas e o embolei junto com o vestido vermelho. Pagamos nossos vestidos, depois fomos embora, mas o carro de Erica estava com uma multa, ela foi reclamar com o guarda que lhe deu a multa, Natasha me deu 20 pratas para comprar um calmante para Erica na farmácia, só que eu não sabia onde era. Andei, andei me perdendo das meninas e finalmente achei uma farmácia, entraram dois caras suspeitos de repente uma mão bateu no meu ombro perguntando:
- Gatinha o que você está olhando?
Ele me apontou a arma que estava escondida sei lá onde, mas Gerard apareceu e gritou:
- Ela é cega, nós não vimos nada não é amor! Vamos embora.
Gerard me envolveu com seus braços me acolhendo me levando embora. Ele me levou para um café no Brooklyn. Chegando lá, entramos, sentamos numa mesa perto do balcão, ele juntou suas mãos e me perguntou:
- Por que você saiu de Londres para vir para Belleville?
Gerard me pegou de surpresa, garanto que ele sabia porque eu vim para lá, mas ele queria saber de mim. O que era mais estranho!
Eu suspirei e respondi:
- Bem, minha mãe morreu e tive que morar com Jamie e a família monstro.
Uma garçonete veio nos atender e Gerard pediu dizendo:
- Me traz um café expresso e pra mocinha um suco de laranja.
Ela anotou e foi embora, Gerard olhou para mim e perguntou:
- Hey Samilla... Minhas fontes me disseram que você vai ao baile com Peter Summers. É verdade?
- Não Gerard eu não vou ao baile hoje!- respondi entredentes, tentei olhar para aqueles olhos verdes que estavam me hipnotizando. -Gerard, eu também quero saber se você vai ao baile com a Lindsay?- perguntei também entredentes.
Para minha surpresa ele riu de mim, passou sua mão em seus lindos cabelos negros e lisos, respondeu:
- Você é uma tão meiga falando com esse seu sotaque britânico, não eu não vou com a Lindsay nem com ninguém ao baile. Odeio essas futilidades.
Então infelizmente as nossas bebidas chegaram, nós tomamos ele o café e eu o suco de laranja. Depois ele pagou as bebidas e fomos embora, Gerard assobiou para o táxi o fazendo frear bruscamente para voltarmos pro centro de New York city, nós entramos e Gerard disse:
- Uau, Samilla você é uma companhia bastante agradável eu me enganei ao seu respeito.
Então ele sorriu para mim, ficamos nos olhando sem dizer nada até chegarmos ao nosso destino. Ele pagou o taxista descemos e encontramos as meninas no Times square, Natasha me viu e disse:
- Uma farmácia foi assaltada agora a pouco, você está...- ela me viu com Gerard Way do meu lado, se espantou.- Jesus! Você está bem não é?
Eu balancei a cabeça positivamente, elas se assustaram mais ainda Gerard se despediu de mim e disse:
- Samilla, eu quero ver você amanhã na minha festa! Às sete e meia da noite a Erica sabe onde fica.
Ele me deu um beijo no alto da minha cabeça me fazendo levitar, depois deu um tchau para nós e se foi em meio à multidão e elas perguntaram:
- Como? Onde? Você se encontraram?
- Bem a gente se encontrou antes do assalto na farmácia, ele me levou para um café no Brooklyn, só isso.- eu respondi sem jeito.
Elas me olharam, se olharam entre si e simplesmente desconfiaram de mim...
No dia seguinte, eu acordei sábado de manhã troquei de roupa quando tentava pentear meu cabelo rebelde enroscado no pente, Madison entrou no meu quarto dizendo:
- Hoje seu pai vai ter uma festa beneficente e você tem ir, então se arrume.
Eu fui tomar banho, depois fui procurar uma roupa descente para ir para a festa, mas apenas tinha roupa para um show de rock. Peguei uma camisola azul e o tênis all star preto. Eu desci, Kristen caiu na risada, mas Madison se compadeceu de mim me levando para seu quarto. Chegando lá, ela me emprestou seu vestido rosa que caiu perfeitamente em mim porque ela estava bem para uma mulher de 33 anos. Depois ela me emprestou também uma sandália preta e disse:
- O Jamie deveria ter pegado seus vestidos, mas ele estava com presa e também ele é homem.
Eu coloquei a roupa, prendi os cabelos ficando bem apresentável só que eu estava quase caindo por causa do salto da sandália de Madison que era muito alto. Todos nós nos encaminhamos para BMW prata de Jamie indo para a festa das almofadinhas.
Chegando lá Jamie me apresentou a sociedade dos quase ricos de Belleville. Eles se encantaram pela minha educação e também pelo meu inglês correto. Coisa que os filhos deles nunca seriam incluindo Kristen!
Erica e Jéssica estavam lá então fui para perto delas e Jéssica disse:
- Todos aqui são falsos isso aqui está um saco, festa boa vai ser a do esquadrão do mal.
Nós rimos muito, eu sentei em uma cadeira e Erica disse:
- Aff! Nossos pais estão aqui se bobear os Way também ah nós vamos te buscar as 8:30 da noite e vamos ficar até passar o efeito das drogas.
Jéssica colocou a mão no rosto como sinal desapontamento com a irmã, eu simplesmente ri e disse:
- Espero que essa festa acabe antes das sete porque eu quero me arrumar.- elas olharam maliciosamente para mim, então eu mudei de assunto.- Jéssica se você não bebe o que você vai fazer naquele antro de perdição?
- Bem minha cara Samilla alguém tem que levar vocês para casa depois da festa.- respondeu Jéssica.
Nós nos abraçamos, um garçom passou com taças de champagne e Erica pegou uma taça dizendo:
- Estou calibrando para a festa...
Depois da festa, nós voltamos para nossas casas. Eu fui até o meu quarto, abri meu guarda roupa pegando o vestido, tomei outro banho, me vesti, soltei meu cabelo e fiz uma maquiagem escura e as 8:15 da noite estava pronta. Desci deixando Jamie lá embaixo de cabelos em pé, ele se engasgou e disse:
- Sammy essa é sua primeira vez nessas festas. Tem garotos mal intencionados, drogas, libertinagem e etc. Minha filha tente voltar à meia noite e tome nada da mão de ninguém.
Jamie continuaria seu discurso político só que as meninas chegaram. Eu abri a porta entrando no carro de Jéssica, um jipe amarelo ovo com um som no ultimo volume. Erica e Natasha estavam em pé trás dançando feito umas loucas porque já estavam bêbadas. Eu sentei no banco do carona cumprimentei Jéssica e ela começou a dirigir até a festa...
O local da festa era bem escondido, uma casa abandonada, sem porta ou janelas, pichado. Jéssica estacionou o carro, então nós descemos tinha uma piscina com cheiro muito forte de vodca e cerveja onde uns nadavam e bebiam ao mesmo tempo. Nós encontramos com Nate que nos abraçou, Natasha se jogou na piscina e Erica puxou meu braço me levando para dentro da casa, onde estavam o esquadrão do mal com umas garotas jogando sripper pôquer. Gerard tirou a camiseta preta chegando perto de mim, deu oi para e me abraçou muito forte, eu senti uma energia passando do corpo dele para o meu me soltou, Erica e eu nos assustamos muito e ele disse:
- Meninas sentem-se nós não mordemos a não ser que vocês queriam é claro, ah Sammy que bom que você veio.
Gerard e eu sorrimos sem graça um para o outro, então Lindsay apareceu o agarrando e o beijando, ela estava pendurada em seu pescoço como vampira sedenta, Gerard me ofereceu uma dose de tequila em cima da mesa do pôquer, eu tomei, mas era muito forte que eu cai e ele me deu sua mão deixando a VACA da Lindsay irritada, tudo girou, mas eu peguei um copo de vodca em cima da mesa do pôquer e virei num gole. Eu andei cambaleando e rindo até que começou a tocar a musica do Akon “i wanna fuck you”, comecei a dançar feito uma maluca sem nenhum ritmo até me deram uma garrafa de vinho com leite condensado, tomei em duas viradas, caí, eu apaguei de repente...
Quando dei por mim, estava deitada na minha cama, liguei o abajur e Gerard estava dormindo numa cadeira ao lado da cama. Levantei indo ao banheiro, lavei o rosto, respirei, sai do banheiro, acendi a luz do quarto, mas ele estava dormindo na cadeira. Eu o acordei e perguntei:
- O que aconteceu? O que você está fazendo aqui?
Ele coçou seus olhos, se ajeitou, bocejou um pouco e respondeu:
- Sammy... Bem aquela garrafa que te deram estava com uma droga, um cara te arrastou para o quarto, eu o segui te trouxe de volta dando um soco nele, eu te levei para casa, a Madison deve ter te dado um banho, eu pulei sua janela não me pergunte como porque eu ainda estou bêbado. Eu tenho necessidade de te proteger, será que eu sou o Edward Cullen e você a Bella?
Eu precisei de alguns segundos para processar a informação, ficando confusa respondi:
- Você não o Edward Cullen nem eu tão pouco a Bella, mas muito obrigada por me salvar novamente se você quiser outro trabalho de historia.
- Amor eu não quero trabalho nenhum, eu apenas quero...- respondeu Gerard sorrindo para mim.
Então ele se aproximou de mim colocando a mão no meu rosto e a outra na minha cintura, ele sentou na cama, sorriu. Tirou as mãos de mim colocando na cama, eu estava muito nervosa, então colocou as mãos em minha cintura me puxou e me beijou, colocando seus lábios nos meus já com uma mão em minha nuca me virando para colocar sua língua na minha boca encontrando-se com a minha, ele me puxou mais perto e as minhas mãos estavam em suas costas, mas quando ele mordeu meu lábio inferior eu senti um arrepio juntamente com um calor estranho afundei minhas unhas enormes nas costas quando aumentou a intensidade do beijo, ele se mexeu me jogando na cama parando o beijo. Nós estávamos sem fôlego quando o recuperamos, ele suspirou e perguntou:
- Nossa que beijo! Eu adorei muito, você tem um beijo diferente. Por quê?
- É porque esse foi... O meu primeiro beijo.- eu respondi sentando na cama totalmente sem graça.
Ele caiu na gargalhada, mas eu cruzei os braços olhando seriamente para ele que se tocou que eu estava falando serio que respondeu surpreso:
- Nossa que responsabilidade, espero que eu tenha suprido suas expectativas Sammy.
Eu pensei “Oh Deus e como SUPEROU as minhas expectativas!’’, ele sorriu começou a se despedir de mim, abriu a minha janela indo embora, mas voltou me dando um selinho depois disse”:
- A família monstro vai para a igreja amanhã aí eu apareço de manhã e também você vai ficar pior.
Gerard saiu de vez...
Eu fiquei me jogando na cama para acreditei em tudo, afinal eu não estava bem, foi então que eu entendi que estava APAIXONADA por Gerard Way.
Olhei para a lua pela minha janela, sorri e adormeci...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
To the end
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFics Fórum :: Fórum :: FanFics :: Fanfics MY CHEMICAL ROMANCE-
Ir para: